LUZ E TREVAS

“Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más. Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, temendo que as suas obras sejam manifestas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, para que se veja claramente que as suas obras são realizadas por intermédio de Deus.” (João 3:19-21)

Por que os pecadores não se aproximam da “luz da vida”? Porque amam as trevas! Desejam prosseguir com seus atos de perversidade, e esse desejo os impede de se aproximarem da luz, pois quanto mais o pecador se achegar à luz, mais evidentes tornarão os seus pecados. Não são os problemas intelectuais que impedem as pessoas de crerem em Cristo; mas sim a cegueira espiritual e moral que as levam a continuarem amando as trevas e odiando a luz.

Deus é a luz (1 Jo 1:5), Satanás é “o poder das trevas” (Lc 22:53). As pessoas amam a luz ou as trevas, e esse amor controla seus atos. Os que crêem em Cristo são filhos da luz (Jo 12:35, 36). Assim como a Criação começou com a palavra “Haja Luz!” também a nova criação começa com a entrada da luz no coração do que crê. A vinda de Jesus Cristo ao mundo foi como um sol nascente, a aurora de um novo dia para o ser humano pecaminoso, para aqueles que estavam vivendo nas trevas. (Lc 1: 79)

A pessoa alcançada por Cristo tem sua vida transformada pela verdade de Sua Palavra, e cresce, necessariamente, em direção a Deus, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus. Nossa vida cotidiana, portanto, se transforma em um poderoso testemunho vivo do evangelho e de salvação de Cristo e um importante instrumento missionário nas mãos de Deus.

“Cristo, a luz do céu, em ti quer habitar. Para as trevas do pecado dissipar. Teu caminho e coração iluminar. Deixa a luz do céu entrar. Deixa a luz do céu entrar. Deixa a luz do céu entrar. Abre bem a porta do teu coração; Deixa a luz do céu entrar.”

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *