DIA 26 – “DESIGREJADOS”

SOLDADOS FERIDOS – 40 DIAS DE ORAÇÃO E JEJUM

Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.” (Hebreus 10.25)

Sabemos que Cristo nos chamou para a comunhão com Ele. Mas há uma segunda verdade a ser observada: quando Cristo nos chamou para a comunhão com Ele, nos chamou também para a comunhão com o Seu Corpo. Logo, é inviável ser igreja sem o senso de pertencimento.

Muitos atualmente não congregam mais. As razões são múltiplas: abuso espiritual por parte de pastores e líderes, perda de cargo na igreja, discordância teológica ou doutrinária que originou alguma discussão dura intempestiva, vítimas de maledicência no contexto local etc.

No entanto, mesmo que tais justificativas se aparentem como plausíveis, precisamos entender que o ato de “congregar” é também um ato de “agregar”, pois é no ajuntamento solene dos santificados pela Palavra que nos santificamos numa maior intensidade, e é quando amamos uns aos outros – a despeito de cada falibilidade que encontramos no caminho – que galgamos níveis mais altos na vida cristã.

A Igreja nada mais é que a reunião de pecadores que foram salvos pela graça de Deus. Ninguém é bom demais para pertencer à Igreja de Cristo, e nem mau demais para deixar de pertencer. O pecado do outro não é mais ou menos grave que o meu pecado. E é por isso que eu devo insistir na comunhão e buscar avidamente a paz com todos.

Em algumas circunstâncias, fica um pouco inviável a permanência numa Igreja local “X”. Nestes casos, temos de ser coerentes com a Escritura e buscar servir numa nova comunidade da fé. Mas não há espaço ou justificativa bíblica para o “desigrejamento” por parte do individuo que foi salvo por Jesus.

Eu não sou a Igreja, mas nós somos.

Reforçamos a palavra de encorajamento para você afirmando que Cristo é glorificado quando somos um. Se cada cristão assumir essa responsabilidade para si – a de lutar pela unidade e pela Igreja – certamente Seu Espírito nos inflamará de amor e estabelecerá um tempo de celebração espiritual familiar justamente onde o pecado outrora conseguiu um bom espaço de atuação.

Não há remédio mais eficaz para a dor do que a graça de Deus. Que haja graça divina em seu coração para insistir em comungar e encontrar a plenitude na comunidade que, de forma mística e vital, está unida a Cristo.

Maycson Rodrigues

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *