ENTREVISTA: PR. ABIMAEL – PARINTINS/AM

ENTREVISTA: PR. ABIMAEL - PARINTINS/AM

Todo o trabalho do Ministério Entre Jovens na Amazônia acontece em parceria com a PIB em Parintins na pessoa do Pastor Abimael Tavarez, missionário da igreja. Seu testemunho nos convoca a estarmos juntos e fazermos mais por missões. Em um bate-papo por telefone, Pastor Abimael conversou um pouco com a gente. Confira:

Pastor, como você avalia o envolvimento da igreja na obra missionária?
Nós realmente temos uma necessidade muito grande de que a igreja venha se despertar para levar o Evangelho ao perdido. Essa missão é da igreja. Infelizmente, hoje temos igrejas cheias de pessoas crentes, mas não convertidas. Pessoas que não conseguem deixar o pecado e entregar a vida pra Jesus. Nossa vida precisa ser uma vida de entrega total. Um dia Ele me deu esse privilégio, a mim e minha esposa, de entregarmos nossa vida a Jesus. Somos missionários, vivemos pela fé e o Senhor nunca nos deixou faltar nada, Ele tem suprido as nossas necessidades.

Nós soubemos de algumas dificuldades que você enfrentou ao longo desses anos na obra missionária. Poderia nos contar um pouco sobre essas experiências?
É verdade. Houve períodos em que não tínhamos nenhum sustento. Eu vivia da pesca e com esse sustento fazia o trabalho. Nesse tempo, fizemos um financiamento para comprar uma rabetinha, que é um barquinho com motor, para realizar as viagens. A rabetinha não tinha cobertura, então foram três anos e meio viajando toda semana, muitas vezes debaixo de sol forte e chuva também. Andávamos cerca de 8 a 10 horas para chegar nas comunidades para pregar. Hoje Ele me deu o privilégio de ter um transporte mais adequado, com cobertura e mais rápido. Esse foi um presente de Deus doado por um irmão de São Paulo. Mas, se tratando de dificuldades, passamos por muitas ao longo desses anos. Já passamos a noite debaixo de barracões de farinha, com plástico na cabeça porque não tinha onde ficar. Também já fomos duas vezes à pique de canoa, eu e minha esposa. Ficamos molhados sem ter nenhuma roupa para trocar, sem rede, sem nada. Mas eu posso dizer que nenhuma dessas dificuldades nos fez pensar em desistir. Foi para isso que Deus nos chamou.

Nossas viagens missionárias costumam durar uma semana. E como se dá o trabalho nas comunidades ribeirinhas quando nós vamos embora?
Hoje, estamos trabalhando em 30 localidades no interior. Depois do retorno de vocês eu realizo as visitas de 15 em 15 dias, nos finais de semana. Nessas visitas eu procuro consolidar o trabalho de evangelismo e discipulado que as equipes iniciam nos períodos das viagens. Hoje eu posso dizer que sou um privilegiado. Há um ano atrás eu não tinha sustento para realizar as viagens. Mas hoje eu tenho, porque Deus tem me presenteado com o sustento. Irmãos têm me ajudado, porque as viagens aqui são muito caras. Então eu sou grato por estar sendo sustentado. É um trabalho que tem dado muitos frutos! Inclusive, vocês vão ficar surpresos este ano ao ver o que Deus tem feito nas regiões de Guarapé-Açu e Simeão Socorro, região que vocês visitaram nos dois últimos anos. A minha expectativa esse ano é levar os irmãos em alguns lugares que vocês já visitaram para que vejam algumas mudanças que já aconteceram. E também visitar outras que nós ainda não foram, para que vocês vejam as necessidades e possam servir.

Essa é a terceira viagem que o Entre Jovens está fazendo em parceria com os irmãos. O que o Pastor poderia dizer sobre esse trabalho que temos realizado todos os anos nas comunidades ribeirinhas da Amazônia?
É importante que vocês compreendam que o trabalho que vocês estão fazendo não é vão. Eu comecei o trabalho com ribeirinhos em 1999. Nesse tempo nós enfrentamos muitas dificuldades, pois não tínhamos acesso a nenhuma comunidade. Eu mesmo já fui expulso de muitas comunidades, mas mesmo assim eu não deixei de pregar o Evangelho. Para vocês terem uma ideia, há algumas semanas atrás eu realizei 22 batismos de pessoas adultas que eram dirigentes de igrejas católicas e se converteram, fruto de um trabalho que nós começamos há cerca de 16 anos atrás. Alguns resultados levam tempo, mas valem a pena! Continuem firmes. Vocês já fizeram duas viagens para cá, e agora estão fazendo a terceira. Para mim, foram algumas das melhores viagens que tivemos.

Por quê?
Nós já realizamos muitas viagens com americanos, mas o americano depende de intérprete. Já os brasileiros não têm essa barreira. Então para nós é sempre muito especial ver vocês aqui trabalhando como um “batalhão”! Jovens evangelizando, servindo, isso é muito bom!

Deixe um recado a todos aqueles que irão conosco à Amazônia e àqueles que estão orando e contribuindo com esse projeto.
Eu quero dizer a todos que estão envolvidos nesse trabalho que missões é responsabilidade nossa, é da igreja! Vocês não estão jogando pedras no vento. Deus vai continuar abençoando e o Seu Reino vai crescer. Ele vai continuar levantando pessoas através de vocês. Com certeza, vocês têm deixado pessoas aqui com o conhecimento da Palavra, e o Espírito Santo está trabalhando nessas vidas. Com o tempo vocês vão ver o Reino de Deus na nossa região. Eu sou grato a Deus por ver a atuação desse ministério do Rio de Janeiro em um tempo em que poucos querem se envolver em missões. Vocês estão fazendo um investimento muito bonito na Amazônia e na vida de tantas pessoas, não apenas na parte espiritual, mas também na parte física. Como muitos sabem, nós vivemos em uma região com uma vasta extensão de água, mas uma água poluída, imprópria para beber. Através de vocês e outros irmãos, tivemos a oportunidade de ser abençoados com poços que fornecem a esse povo uma água saudável. Realmente, é um privilégio muito grande poder contar com a contribuição de vocês, não somente através daquilo que vocês trazem e fazem, mas principalmente em ver o interesse de vocês em participarem desta obra pessoalmente. Sem dúvidas, isso requer um sacrifício pessoal de cada um. Mas ser missionário é um sacrifício que agrada ao Senhor. As sementes que vocês estão lançando vão germinar e dar muito fruto, creiam.


Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *